O que é?

A Síndrome do Olho Seco é uma doença crônica comum na Oftalmologia e ocorre quando as lágrimas não são capazes de fornecer lubrificação adequada para os olhos. As lágrimas podem ser inadequadas por falta de produção ou por uma produção de má qualidade.

Sintomas

Sensação de areia ou corpo estranho nos olhos, vermelhidão, ardência, queimação, intolerância à luz (fotofobia), visão embaçada ou turva, lacrimejamento excessivo. Esses sinais e sintomas podem piorar no final do dia, em condições de baixa umidade (ar condicionado, vento, etc.), exposição à fumaça do cigarro ou após períodos prolongados de leitura, em frente à televisão ou monitores. A evolução do problema pode provocar comprometimento da córnea e até a perda da visão.

Causas

Quem permanece por muito tempo trabalhando no computador (especialmente em ambientes com ar condicionado), está mais vulnerável a contrair Olho Seco. Crianças que permanecem por longo período brincando com vídeo game também costumam sofrer com o problema.  Pacientes submetidos à cirurgia refrativa também podem apresentar Olho Seco no pós-operatório.

Diagnóstico

Realizado pelo médico oftalmologista, mediante histórico clínico do paciente, e por meio de exames relativamente simples de avaliação da lágrima, tais como o Teste de Schirmer, teste do corante de rosa bengala e tempo de rotura do filme lacrimal (BUT).

Tratamento

Variado e complexo, personalizado para cada caso. São empregados, entre outros, lágrimas artificiais em diferentes composições, anti-inflamatórios tópicos e orais, imunossupressores e até cirurgias. Peixes como o salmão e a sardinha, além do óleo de linhaça (todos ricos em ácidos graxos), são recomendáveis para prevenir o problema.