"Summit" reúne expoentes nacionais para debaterem superfície ocular

galeria_summit.jpg

"Summit" foi o título do 28o. evento científico do Hospital de Olhos do Paraná em parceria com a Novartis, realizado neste sábado, 21 de outubro, no Restaurante Coco Bambu (Shopping Crystal). Olho seco, Catarata, Lentes de Contato e Glaucoma foram os temas em pauta. Compareceram médicos do corpo clínico, residentes, fellows e especialistas de outros centros oftalmológicos de Curitiba.

O diretor clínico do HOPR, Dr. Hamilton Moreira, agradeceu a presença de todos e comemorou a importância de tais encontros, que considera fundamentais para aumentar o nível de conhecimento da classe e, consequentemente, transformar para melhor a qualidade do atendimento e a qualidade de vida dos pacientes.

A Dra. Liane Touma Falci, formada em Oftalmologista pela USP e gerente médica da Novartis, disse que o evento sobre superfície ocular abordaria os diversos momentos da especialidade, e como a "superfície ocular permeia as nossas diversas práticas como oftalmologistas".

O Prof. Doutor José Álvaro Pereira Gomes, professor adjunto da UNIFESP, especialista em Olho Seco, Córnea e Superfície Ocular falou a respeito do tema "O que devemos saber sobre Olho Seco e Superfície Ocular para a nossa prática diária - novos protocolos e consensos de tratamento". Relembrou que a doença do Olho Seco acomete milhões de pessoas no mundo, que desencadeia uma série de consequências médicas, sociais e econômicas.

É, por vários fatores, considerada uma doença da moda. Acrescentou que mulheres são mais acometidas, porque procuram mais auxílio médico, reportam mais queixas somáticas, experimentam e respondem à dor de forma diferente, fazem uso de mais medicamentos que provocam olho seco e, mais frequentemente, são submetidas às cirurgias refrativas (um dos fatores de risco iatrôgenicos para a doença).

Em seguida, a Dra. Amaryllis Avakian Shinzato, membro do Hospital das Clínicas da Universidade de São Paulo, especialista em Cirurgia de Catarata, abordou "A importância da Superfície Ocular para a Cirurgia de Catarata". A exemplo do Dr. José Álvaro, ela lembrou que a alteração da superfície ocular mais comum em idosos é o olho seco. Acrescentou que, se a doença não for tratada adequadamente, provoca impacto importante no resultado das cirurgias de catarata.

A Dra. Amaryllis disse, ainda, que eventos como o promovido em parceria entre o Hospital de Olhos do Paraná e a Novartis, são de extrema importância. "Compartilhamos experiências e estudos que realizamos de forma a difundir conhecimento e isso é fundamental pra nós médicos, mas o beneficiado final é o paciente, que tem a chance de receber e ter acesso a um tratamento de última geração", observou.

O Dr. Guilherme Guedes, membro do corpo clínico do Instituto de Glaucoma do Hospital de Olhos do Paraná e fellowship na área pela Yale University (USA), falou sobre "Doença de Superfície Ocular em Glaucoma". Alertou que uma das principais dificuldades do médico é manter o paciente usando a medicação. Acrescentou que os três principais problemas no tratamento são o custo, desconhecimento da doença e aderência.

O encontro seguiu com a participação da Dra. Samantha de Albuquerque, médica do Ambulatório de Lente de Contato e Refração da Escola Paulista de Medicina (UNIFESP), que falou sobre "Superfície Ocular relacionada a Lentes de Contato". Ela disse que a lente de contato está em íntimo contato com os olhos e, portanto, problemas da superfície ocular, como por exemplo olho seco, podem impactar no uso e no conforto.

A Dra. Samanha considerou importante reforçar a importância de fazer adaptação médica de lente de contato, porque na consulta são avaliadas várias questões que ajudam na tomada de decisão sobre modelo, regime de descarte da lente , bem como na avaliação em microscópio.

Em uma outra etapa do evento, o Dr. Felipe Branco, preceptor da Oftalmologia Clínica e Cirúrgica do Hospital de Olhos do Paraná, abordou "Cirurgia Avançada de Catarata - Fellowship 2017/2018". Ele expôs que é o programa, falou sobre os seus principais objetivos, perfil dos pacientes operados, detalhes sobre a cirurgia, o tempo médio de recuperação dos pacientes, resultados alcançados em 2017 e previsões futuras do programa, que não tem precedentes no país.