Novo exame permite o diagnóstico precoce das doenças da retina

 

californiabanner-vert.jpgA medicina acaba de ganhar um dos seus mais importantes aliados no diagnóstico precoce das doenças da retina. Trata-se do equipamento California, produzido pela empresa americana Optos. A tecnologia está na rotina de três centros oftalmológicos do país, entre eles o Hospital de Olhos do Paraná.

O grande diferencial do equipamento, comparativamente a outros exames, é o de que o California permite com que se tire fotografia colorida (angiografia de contraste) de grande angular de 200 graus da retina (contra os 55 graus dos anteriores). Por estas características, atinge todas as partes da retina, desde a periferia até o centro.

Inteiramente digital, funcionando como um tipo de laser, o California permite ao oftalmologista visualizar detalhes da retina que não são identificados pelos exames convencionais e, por isto, tornam pouco desenvolvida a sua propedêutica. Minimamente invasivo, o California tem como vantagens o fato de o paciente não precisar dilatar a pupila.

As melhores indicações do exame, de acordo com o Dr. Carlos Moreira Júnior, chefe do Serviço de Retina do Hospital de Olhos do Paraná, são as doenças que podem causar o descolamento da retina e não são diagnosticadas pela ausência do exame de periferia. Com o California, acrescenta o especialista, é possível atuar na "profilaxia das doenças da retina, antes de surgirem as suas primeiras complicações".


Moreira Júnior diz que o exame é importantíssimo também para o tratamento profilático da retinopatia diabética, quando a doença ainda está em suas fases iniciais (ainda na periferia da retina) e é assintomática. De forma geral, acrescenta o médico, o diagnóstico de todas as doenças vasculares da retina é beneficiado com o advento do California.