Surge nova era no tratamento minimamente invasivo do glaucoma

istenthome.png

Chega ao Brasil procedimento minimamente invasivo no tratamento do glaucoma; o Hospital de Olhos do Paraná é um dos primeiros centros oftalmológicos do país a incluir a tecnologia em sua rotina. Ela é conhecida como "iStent - Trabecular Micro By-pass", produzida pela Glaukos Corporation. As primeiras cinco cirurgias foram realizadas no sábado, dia 10 de junho. Em todo o mundo já são mais de 300 mil implantes realizados empregando a técnica. Ela é indicada para portadores de glaucoma primário de ângulo aberto nos estágios leve e moderado (as formas mais comuns da doença). A técnica pode ser empregada isoladamente ou em conjunto com a cirurgia de catarata.

O Dr. Guilherme Guedes, coordenador do Instituto do Glaucoma do Hospital de Olhos do Paraná e Fellow em Glaucoma pela Yale University (EUA), comandou as primeiras cinco cirurgias. Ele explica que, embora o "iStent" esteja há vários anos sendo empregado nos EUA e Europa, só em outubro de 2016 teve o seu uso liberado no Brasil pela Anvisa.

A técnica, de acordo com o Dr. Guilherme Guedes, é considerada como uma nova era no tratamento do glaucoma. Foi desenhada e pesquisada por mais de uma década para reestabelecer a habilidade natural do olho em drenar o humor aquoso que causa o aumento da pressão intraocular (PIO). Com a pressão mantida a níveis normais, o paciente pode ficar inclusive livre do uso dos colírios, o que permite significativa melhora de aderência ao tratamento.

O que é
O "iStent" é um implante de titânio microscópico, de um milímetro de dimensão - o menor dispositivo médico existente no mundo. Pertence a uma nova classe de procedimentos em Glaucoma de elevada precisão e segurança, denominada de Cirurgias de Glaucoma Minimamente Invasivas (MIGS). Sua função é facilitar a saída de um fluído denominado de humor aquoso do olho através de uma malha esponjosa denominada Trabeculado (situado no ângulo onde a íris encontra a córnea). A técnica pode ser aplicada concomitantemente com a cirurgia de catarata uma vez que, 20% desses pacientes, também são glaucomatosos.

Sobre o glaucoma
O glaucoma é uma doença degenerativa que, se não tratada, eventualmente causará danos irreversíveis ao disco óptico e perda de visão. Esta neuropatia óptica progressiva é estimada para afetar 3 milhões de pessoas nos EUA. No Brasil, existem mais de 900 mil portadores. As opções convencionais de tratamento atuais estão limitadas à redução da pressão intraocular (PIO), com terapia médica sob a forma de gotas tópicas como tratamento de primeira linha.

Porém, segundo estudos clínicos internacionais, o uso de medicamentos tópicos pode não ser suficiente para o controle a longo prazo de PIO em todos os pacientes, o que faz com que o "iStent" ganhe em importância no sentido de propiciar maior qualidade de vida ao paciente.

Sobre o Hospital de Olhos
O “iStent” está na rotina do Instituto do Glaucoma do Hospital de Olhos do Paraná. A unidade é a mais recente criada pelo centro oftalmológico. Está situada na Rua Carlos de Carvalho, 1430 (Batel). Foi concebida para oferecer ao paciente, em um só local, profissionais capacitados e tratamento integral, em todas as fases da doença. Destaque também para o SLT (Selective Laser Trabeculoplasty), que pode propiciar o controle da pressão intraocular, sem a necessidade do uso de colírios. O procedimento é opção inicial ao tratamento da doença, funciona com bons resultados em número significativo de pacientes, por um período que varia entre dois e cinco anos.