Pediatras alertam para uso excessivo de tempo na internet

cartilha_hop_410x228.jpgCrianças e adolescentes fazem parte da geração digital, que usam a tecnologia cada vez mais em idades precoces e em todos os lugares. O número crescente de acesso de dispositivos, aplicativos, videogames e a Internet vêm chamando a atenção de pediatras. Eles querem evitar que o excesso do tempo gasto com tecnologias tragam dificuldades para o desenvolvimento dos jovens.

Segundo dados da pesquisa TIC Kids Online de 2015, oito entre dez crianças e adolescentes, entre nove e 17 anos, usam a internet com frequência. O principal meio de acesso é o telefone celular. A partir dessa pesquisa e de outros 30 estudos científicos, a Sociedade Brasileira de Pediatria (SBP) lançou um Manual de Orientação sobre a Saúde de Crianças e Adolescentes na Era Digital, produzido pelo Departamento Científico de Adolescência com orientação para pais, educadores, crianças e médicos.

Para os pediatras da Sociedade Paranaense de Pediatria (SPP), o excesso às tecnologias modificam hábitos de comportamento desde a infância, podendo causar dificuldade de socialização e diversos danos e prejuízos à saúde. Entre eles: ansiedade, depressão, estresse, além de transtornos de sono, alimentação, sedentarismo, problemas de visão e audição, e problemas de postura, dentre outros fatores. Confira algumas recomendações da SPP para evitar os efeitos negativos do meios digitais entre os pequenos e jovens:

- Evitar exposição aos eletrônicos para crianças com menos de dois anos, especialmente na hora das refeições e antes de dormir;

- Limitar a uma hora por dia o uso para crianças entre dois e cinco anos;

- Evitar que crianças de zero a dez anos tenham televisão e computador no próprio quarto. 

Confira essas e outras recomendações, que constam no Manual de Orientação sobre a Saúde de Crianças e Adolescentes na Era Digital, disponível para download http://www.sbp.com.br/src/uploads/2016/11/19166d-MOrient-Saude-Crian-e-Adolesc.pdf