Hábito de fumar também é fator de risco para a visão

cigarro_visao.jpg

Dia 29 de agosto é o Dia Nacional de Combate ao Fumo, uma data instituída em 1986, criada com o objetivo de conscientização e mobilização sobre os riscos do uso do cigarro. Em relação à saúde ocular, estudos revelam que o tabagismo oferece um risco maior de desenvolver derrames oculares e outras doenças que afetam a visão como a degeneração macular relacionada à idade (DMRI).

As consequências da DMRI é a perda da visão central em seus portadores. De acordo com os médicos do Serviço de Retina do Hospital de Olhos do Paraná, danos na mácula, a área central da retina, podem levar à cegueira macular e degeneração, apontada como a principal causa de cegueira em pessoas com mais de 50 anos.

As substâncias tóxicas do cigarro ficam depositadas nas paredes dos vasos e artérias da retina. À medida que a mácula é danificada, a circulação no local é prejudicada e as veias se dilatam e morrem. As consequências no paciente são a perda da “sintonia fina” da visão, necessária para atividades como ler e dirigir. Isso porque, é na mácula que contém a maior densidade de nervos sensíveis à luz e, por isso, é responsável pela nitidez das imagens captadas pelos olhos e enviadas ao cérebro.

Os estudos revelam que o hábito de fumar está ligado a cerca de 36% de maior risco de progressão da doença. Importante ressaltar que esse fator de risco não desaparece com a suspensão do vício. Mesmo em ex-fumante o risco é recorrente.