Eletrofisiologia entra na rotina do Hospital de Olhos do PR; tecnologia, por impulsos elétricos, eleva a precisão no diagnóstico

eletrofisiologia.jpgO exame da eletrofisiologia ocular, realizado a partir de impulsos elétricos (seguindo princípio similar ao do eletrocardiograma e eletroencefalograma), surge como uma importante contribuição para conferir maior precisão no diagnóstico e tratamento das doenças que afetam o nervo ótico e a retina.

A tecnologia está na rotina de poucos centros médicos do país, entre eles o Hospital de Olhos do Paraná. Ao medir a eletricidade gerada pelo olho, o exame proporciona ao oftalmologista uma compreensão detalhada dos processos fisiológicos da visão. Não é invasivo e consiste da introdução de eletrodos colocados em locais apropriados ao longo da via visual, para medir respostas provocadas pela luz, quando esta estimula o olho.

O avanço constitui-se em importante aliado também no diagnóstico e tratamento de algumas doenças genéticas. E será importante aliado com o advento das novas terapias genéticas com células tronco, de acordo com o professor Carlos Augusto Moreira Júnior, chefe do Serviço de Retina do Hospital de Olhos do Paraná.

Para o Dr. Fábio Alves, integrante do corpo clínico do Serviço de Retina do Hospital de Olhos, o exame é de fundamental importância também em outras áreas da medicina. Entre elas, menciona a área neurológica, ao permitir a identificação de doenças que afetam o córtex cerebral. Cita como exemplos a esclerose múltipla, neuropatias isquêmicas, traumas e tumores próximos ao nervo ótico.

Mas é predominantemente na área da retina que o exame tem maior aplicação. O diagnóstico preciso das doenças genéticas que afetam a retina, como retinose pigmentar e distrofias de cones e bastonetes, entre outras, é fundamental neste momento em que novos estudos e possíveis terapêuticas são testadas e idealizadas.

Por isso, o Hospital de Olhos investiu na aquisição desse moderno equipamento, com o objetivo de que em um futuro próximo possa ofertar a seus pacientes tratamentos revolucionários para doenças que atualmente podem levar à cegueira. 

Para realizar o exame é necessária uma consulta especializada com um dos retinólogos da equipe do Hospital de Olhos do Paraná.