Cinto de segurança ajuda a diminuir casos de traumas oculares

belt.jpg

Além de salvar vidas e evitar traumas que deixam as pessoas marcadas para sempre, o uso obrigatório do cinto de segurança nos veículos agregou, por consequência, a diminuição dos traumas oculares graves. As estatísticas sempre apontaram os acidentes de trânsito como causa importante de problemas oculares, muitas vez, com perda da visão. 

Por isso, é importante não haver desmobilização. Apesar de serem menos frequentes, os traumas, perfurações e lacerações oculares ainda fazem parte, infelizmente, de um número razoável de vítimas nas ruas e estradas. Isso porque muitos motoristas e passageiros relaxam nos cuidados e correm riscos. Mesmo em pequenas distâncias, o uso do cinto de segurança é fundamental.

Especialistas do Hospital de Olhos do Paraná lembram que os olhos são regiões de extrema sensibilidade em relação a outras partes do corpo. Com efeito, os acidentes podem deixar sequelas importantes com perdas e déficit funcional nas vítimas. Lesões podem elevar o risco de descolamento de retina e até catarata, por exemplo. Sem contar os casos de cegueira absoluta.

Estudos apontam que a metade dos casos de cegueira são preveníveis. A perda de visão por trauma em acidentes, geralmente, ocorre na primeira década de vida. Os traumatismos oculares também vitimizam jovens em idade produtiva, quando estão mais expostos às situações de risco, seja em brigas, nos esportes ou em acidentes de trânsito.