Dr. Ricardo Cebrian fala sobre conjuntivite à Rádio É-Paraná

ricardo_educativa.jpg

O Dr. Ricardo Cebrian foi o entrevistado nesta segunda-feira, da Rádio É Paraná. Na conversa que teve com o repórter Marco Antonio Assef Bruginski, alertou sobre os riscos da conjuntivite, principais sintomas, cuidados e chamou a atenção sobre outros fatores de risco. 

Algumas dicas básicas sobre a doença:

A doença se caracteriza pela inflamação da conjuntiva, a membrana transparente e fina que reveste a parte da frente do globo ocular e o interior das pálpebras. Ela pode ser desencadeada por uma reação alérgica a poluentes ou produtos químicos, com a incidência aumentada durante o verão.
Vermelhidão do olho é o típico sintoma revelador de conjuntivite. A sensação é de uma absurda coceira e a sensação de queimação nos olhos. A condição é comum, mas raramente grave, e não deve causar danos à visão em longo prazo, se rapidamente detectada e tratada.
Quando isso não acontece alguns sintomas mais graves podem surgir, como alterações na visão, sensibilidade à luz in tensa e dor.
A conjuntivite é extremamente contagiosa. Espalha-se facilmente se a pessoa infectada não lavar bem as mãos ou por meio da partilha de objeto, como toalhas, lençóis e travesseiros. Também pode se espalhar através da tosse e espirros.

Do tipo alérgica

A conjuntivite tipo alérgica é causada por pólens sazonais, pêlos de animais, cosméticos e perfumes e a conjuntivite química, a partir de produtos químicos ou líquidos.
Para reduzir a dor e para remover a descarga bacteriana ou viral, deve-se usar uma compressa fria ou morna sobre os olhos. Deve ser feita com material de higiene diferente para cada olho a fim de evitar a propagação da infecção, cuidando para limpar a partir do interior para o exterior da área dos olhos.
Normalmente a pessoa pode retornar ao trabalho ou à escola após 24 horas do início do tratamento, desde que os sintomas melhorem. Nos casos de conjuntivite viral contagiosa até que os sintomas durem.

Procure um oftalmologista

O oftalmologista pode diagnosticar a doença apenas por seus sinais e sintomas. No entanto, um exame mais aprofundado pode ser necessário. Uma conjuntivite mais persistente pode ser um sinal de uma doença subjacente no organismo. Na maioria das vezes estas são as doenças reumáticas, como artrite reumatóide e lúpus.
O Hospital de Olhos do Paraná conta com pronto-socorro que funciona 24 Horas para atender todas as emergências oftalmológicas.