Hospital de Olhos do Paraná e Shopping Estação promovem campanha de combate ao glaucoma


Mais de 500 pessoas compareceram à campanha ”Glaucoma - A Detecção precoce é a melhor prevenção". A ação foi realizada dia 24 de maio, em parceria entre o Hospital de Olhos do Paraná e o Shopping Estação, antecipando o alerta pelo Dia Nacional de Combate ao Glaucoma. Durante o dia, foram realizados exames para a verificação da pressão intraocular (um dos principais fatores de risco ao glaucoma), distribuídos folders, bem como aplicado questionário.  Pelas respostas, foi possível descobrir se os voluntários apresentavam outros fatores de risco para o glaucoma. São eles: idade acima de 40 anos, histórico familiar, diabetes, uso prolongado de medicamentos com cortisona, elevação da pressão intraocular, pertencer à raça negra.

O glaucoma é a principal causa de perda da visão irreversível no mundo. Ao todo, de acordo com a OMS, são mais de 67 milhões de portadores, com uma estimativa de mais de 80 milhões até 2020. ​ ​Somente no Brasil são mais de 900 mil portadores. Mais da metade deles só fica sabendo que têm glaucoma muito tarde, quando a perda visual está estabelecida. Por isso, a doença é considerada como traiçoeira.

​De acordo com a médica oftalmologista Carolina Rottili Daguano, coordenadora da campanha e integrante da equipe do Hospital de Olhos do Paraná, ​a inda não existe cura para o glaucoma. No entanto, a medicação ou a cirurgia podem retardar ou prevenir a perda da visão​, observa​. O tratamento apropriado depende, entre outros fatores, do tipo de glaucoma (os dois tipos mais comuns são de ângulo aberto e ângulo fechado, caracterizados pelo aumento da pressão intraocular no interior do olho) ​, de acordo com a médica.​

​A especialista diz que o mais importante é não haver perda de tempo até que se busque ajuda médica. O acompanhamento de um oftalmologista e o uso regular de colírios é essencial para que o portador possa manter a qualidade de sua visão pelo maior tempo ​possível, completa​.

Embora o Glaucoma afete, em suas formas mais comuns, principalmente as pessoas de meia-idade e idosos, atinge também pessoas de outras faixas etárias. A perda de visão é causada por danos ao nervo óptico. Esse nervo funciona como um cabo elétrico com mais de um milhão de fios. Ele é responsável por transportar as imagens do olho para o cérebro.