No mês dedicado à criança, o HOP entrega à comunidade o “Hospital do Olhinho”

O mês em que se comemora o Dia das Crianças está sendo especial para o Hospital de Olhos do Paraná (HOP). O centro oftalmológico acaba de inaugurar o seu “Hospital do Olhinho”, situado na Praça Zacarias, 51, quarto andar, destinado a prestar atendimento integral para crianças desde o zero ano de idade até a fase da adolescência. Clique aqui, assista ao vídeo promocional do Hospital do Olhinho!

Ao agradecer pela dedicação de toda a equipe envolvida com o novo serviço, o Dr. Hamilton Moreira, diretor do HOP, disse na inauguração que, criar um serviço nestes moldes é uma ousadia. “Porque atender uma criança é difícil, porque criança não é um adulto pequeno e porque uma consulta em criança tem que ser diferenciada, por pessoal bem preparado, mobiliário e infraestrutura adequados”.

A Dra. Dayane Issaho, médica responsável pelo Serviço, disse que o atendimento às crianças requer “técnicas e manobras peculiares, para que a consulta não se torne um pesadelo aos pais e aos pequenos pacientes”. Acrescentou que o “Hospital do Olhinho” foi idealizado para oferecer tudo o que é preconizado pela Sociedade Brasileira de Oftalmologia Pediátrica e pelo Conselho Brasileiro de Oftalmologia. Para garantir, enfim, “a melhor visão desde a mais tenra idade”.

Dicas aos pais
Parte dos problemas oculares na infância podem causar defeitos visuais permanentes, advertem os oftalmologistas pediátricos do “Hospital do Olhinho”. E muitos acontecem dentro de casa e podem ser evitados. Saiba quais: oriente brincadeiras e evite peças pontiagudas (crianças são curiosas e ativas e é preciso extrema atenção com brinquedos que possam oferecer perigo); não deixe à vista produtos nocivos à saúde ocular infantil (restrinja o acesso das crianças a produtos de limpeza ou outros líquidos químicos, pois a saúde ocular da criança, como todo o seu sistema imunológico, ainda está em formação); crie regras para o uso de eletroeletrônicos (ficar exposto por longas horas em frente à televisão ou ao celular pode ser prejudicial); e fique atento aos hábitos das crianças (observe características de comportamento, que podem ser a chave para identificar problemas que precisam ser tratados precocemente).