Dr. Luís Arana defende tese de doutorado na área de Retina

O médico oftalmologista Dr. Luís Augusto Arana, membro do Hospital de Olhos do Paraná (HOP), foi o autor de tese de doutorado defendida, recentemente, na Universidade Federal do Paraná (UFPR), sob o título “Análise das Esclerotomias pela Tomografia de Coerência Óptica e Formação de Granuloma na Vitrectomia 23 Gauge com Sutura Removível, Sutura não Removível e Sem Sutura”. O estudo teve a participação dos Drs. Carlos Augusto Moreira Junior, Hamilton Moreia, Alexandre Grandinetti e da Dra. Ana Teresa Moreira.

O Dr. Arana explica que, convencionalmente, nas cirurgias de retina, são feitas incisões no olho do paciente e, ao término, o cirurgião pode fazer a sutura desses pequenos cortes. Da forma clássica, o médico faz a sutura com um fio absorvível chamado “vicryl” que é absorvido naturalmente pelo corpo. Porém, este fio geralmente ocasiona o surgimento de “granulomas” (nódulos) que incomodam o paciente, geram desconforto durante a recuperação, e podem durar até dois meses (caso não o retire antes).

A tese

Na tese do Dr. Luís Arana, ele fez um estudo para avaliar a qualidade e o tempo de recuperação do paciente em três alternativas de sutura: a clássica, a sutura com fio removível e a cirurgia sem sutura. Na segunda alternativa, o fio é removido após o sexto dia de pós-operatório, quando já passou o tempo mais crucial de recuperação – que é a primeira semana, e já é considerado seguro removê-lo.

O trabalho foi realizado com 32 pacientes do Hospital de Olhos do Paraná, considerando 96 incisões no total. Com os exames de tomografia e biomicroscopia, verificou-se que o paciente tem uma recuperação mais confortável quando a sutura é feita com o fio removível, possibilitando uma redução da reação inflamatória (que seriam os granulomas).

A tese tem como subtítulo “Análise das Esclerotomias pelo OCT na Vitrectomia com Sutura Removível. Já foi aceita também para publicação na Revista Retina, uma das mais importantes da área no mundo. Levará o título “Novel Vicryl Releasable Suture Technique to Close Leaking Sclerotomies in a Transconjunctival Vitrectomy”. Além disto, será apresentada no Congresso Europeu de Retina, programado para setembro de 2018, em Viena (Áustria).

O Dr. Luís Arana afirma que, com a tese, fica assegurado que é possível promover segurança no pós-operatório. O autor afirma, ainda, que este trabalho comprova que, “a tecnologia utilizada no Hospital de Olhos do Paraná permite que realizemos trabalhos que possam ser publicados nas revistas oftalmológicas de grande impacto mundial, além de apresentações em congressos internacionais.

Para o Dr. Luís Arana, a tese prova que o corpo clínico associado à estrutura de ponta existentes no HOP permitem o desenvolvimento de teses de mestrados, doutorados, novas técnicas cirúrgicas e trabalhos com relevância na oftalmologia brasileira e mundial.